sexta-feira, 20 de maio de 2011

Eu sou a Zakarella



Depois de 35 anos estou com vontade de voltar!
Nasci na revista com o meu nome: Zakarella
Esta revista, apenas para adultos, (na segunda metade dos idos anos 70) editada pela Portugal Press, durou uns excelentes 28 números, apenas findando em Março de 1978 porque o Banco de Portugal não autorizou o pagamento dos direitos de autor em Dólares !!!!!! (nada de cedência de divisas ao capitalismo) ]:-)
O primeiro número saiu em 1 de Março de 1976, coexistindo com outra revista do género: Vampirella. A minha amigaVampirella, também editada pela Portugal Press acabou em Outubro de 1977, ficando eu assim sózinha como revista de "terror".
A revista para além de conter alguns contos curtos e algumas rúbricas relacionadas com o género, continha sempre uma estória da autoria de Ross Pynn (pseudónimo de Roussado Pinto) e ilustrada pelo fantástico Carlos Alberto dos Santos - o meu criador, que para além da figura me deu, também, o nome.
No início eu lutava contra ou favor da malandragem de Lisboa e arredores (dependia da vontade de Satã), sempre com uns trajes diminutos (por vezes nem diminutos eram) e com muitos monstros à mistura. Por vezes diziam que eu era uma Vampirella portuguesa, mas isso não é correcto, pois a única coisa em comum, era (e ainda é) a falta de roupagem, e nesse campo eu ganhava (tinha menos roupa ainda), e uma extraordinária arte como podem verificar pelas ilustrações aqui presentes... para além disso eu não sou Vampira, embora goste de rasgar, morder e arranhar... e outras coisas terminadas em "ar", e "er". ]:-D
Era "giro", quer dizer... eu achava "giro" e interessante que alguma editora deste País se voltasse a lembrar de mim, e, quiçá, eu voltasse ao activo. Mas isso talvez aconteça, com ou sem editora corajosa... pois, é inegável, fui um marco da BD em Portugal, e, infelizmente, nunca nenhum editor se lembra destas coisas! Tenho a certeza que venderia, pois existem duas gerações que me têm bem presente como heroína sexy portuguesa, a minha geração, e a dos meus pais, e sempre que por acaso se fala disto toda a gente diz:
- É pahh! A Zakarella... era tão fixe... (ao ler isto façam um ar nostálgico, para dar ambiente...)
De notar que o meu "pai" Carlos Alberto dos Santos, nesta revista, mostrou uma faceta dele até então escondida, uma vez que que ele era (e ainda é) um ilustrador de motivos históricos! Eu fui o libertar de amarras deste artista, que como ele mesmo já disse "com a Zakarella libertei os meus demónios".
Note-se que a arte de Carlos Alberto dos Santos no interior desta revista é a preto e branco, apenas as capas são coloridas. A revista, começou por ser quinzenal, passando a mensal alguns meses depois.
Tenho muito para dizer e fazer nos próximos tempos!
VOU VOLTAR!

Beijos sulfurosos
(Texto adaptado de Zakarella: Homenagem)

4 comentários:

paulo brito disse...

força nisso

Bongop disse...

Bem vindo Paulo Brito

OCP disse...

Era bom mesmo que alguma editora pegasse na Zakarella e lhe desse nova vida. A garota merece. ;)

Tenho todos os números que saíram nos anos 70 e não me importava de ler mais, desta vez em BD mesmo. :)

Abraço. :)

Bongop disse...

OCP
BD só mais lá para a frente...
Para já vamos numa de merchandise e recuperação da personagem!
;)